O CÉU DOS INOCENTES

O CÉU DOS INOCENTES
Saudações,
Foi em um mês de outubro, mês das crianças, há quatro anos atrás que o Daily News, jornal britânico, noticiou a morte da pequena polonesa Maria Kislo, de 12 anos, que cometeu suicídio para encontrar com seu pai no céu. 
Está chocado/a com a notícia? Pois é, muitos incluindo a mãe, que quando da morte do pai há mais de 6 anos atrás, disse para a filha não ficar triste, pois o pai estaria bem lá no céu. Pois antes do suicídio, a pequena Maria deixou uma carta para a mãe com as mesmas palavras: "Dear Mum. Please dont be sad. I just miss daddy so much, I want to see him again". 
A inocente Maria pedia na carta para sua mãe não ficar triste, pois ela tinha muita saudade do pai e queria vê-lo mais uma vez. Logo depois, enforcou-se no seu quarto. 
Crianças levam tudo ao pé da letra e o conceito de morte só é assimilado por completo depois de certa idade, e mesmo assim, em situações normais de clareza psíquica, o que de certo, a pequena Maria carecia por conta do trauma da morte do pai.
Conceitos religiosos devem ser passados com muito cuidado para as crianças, principalmente conceitos que de certo, muitos adultos que assim o professam não acreditam tanto, em um resquício de cética incerteza, como o conceito de que existe vida após a morte. Muitos dizem acreditar nesta outra vida, mas temem a morte.
Pois espero de coração que Maria tenha realmente encontrado o seu pai, e que sobre sua alma, não recaia nenhuma punição divina, pois segundo a mesma igreja que criou este céu, o suicídio é condenado como grave pecado conforme o parágrafo 2281 da Terceira Parte – Segunda Seção, do Catecismo Oficial do Vaticano.
Só para registro e plurais possibilidades de reflexões.
Fecha o pano.