SER HUMILDE NÃO É SER SIMPLÓRIO

SER HUMILDE NÃO É SER SIMPLÓRIO

Saudações,
Os católicos estão celebrando a Semana Santa, sendo que quinta-feira, nas igrejas ocorre o ritual do lava-pés que relembra o gesto de Jesus junto aos seus discípulos no momento da Santa Ceia. Este ritual, de uma missa que curiosamente não termina, onde o padre, junto aos ministros da eucaristia, retira-se em silêncio sem finalizá-la para iniciar uma vigília, encerra em si um dos Mistérios da saga de Cristo e que traz uma bela reflexão: o ser humilde.

Jesus como mestre, lava os pés de seus discípulos demonstrando que embora tenha uma posição de suposta sabedoria acima destes é capaz de se mostrar tão igual a todos eles, orientando inclusive, que todos passem a fazer o mesmo gesto e que preguem este gesto a todos que os ouvirem, como um gesto de amor, que está no cerne da postura de humildade.

Muitos confundem ser humilde com ser simplório, quando na verdade, a humildade é algo grandioso que somente as almas com alta capacidade de interagir com amor com o semelhante são capazes de ter, diferentemente da alma simplória, que nunca busca o melhor para si nem para o outro.

Ser humilde é saber falar, mas também ouvir, é saber ser ativo, mas também passivo, é saber aconselhar e pedir conselho, é saber vibrar com o acerto e assumir o erro. Ou seja, ser humilde é ser humano no mais valioso significado desta palavra, assumindo que nenhum de nós é perfeito nem melhor ou pior do que ninguém, sendo apenas nós mesmos, eternos aprendizes e inclusive, ensinando sempre o que mais precisamos aprender, como bem cita Richard Bach no livro Ilusões. Só assim estaremos livres do julgar os outros, não sendo presunçosos e preconceituosos e convivendo compreendendo a todos como seres únicos com suas qualidades e defeitos assim como nós.

Só para registro e reflexão.

Fecha o pano.